quinta-feira, 6 de junho de 2013

O texto que segue é relativo a uma das maiores crises biológicas que ocorreu no nosso planeta.

A maior extinção em massa que algumas vez ocorreu na Terra deu-se há cerca de 250 milhões de anos, no final do Pérmico. Esta crise biológica fez desaparecer 85% da vida animal, bem como a maioria das plantas, concluiu uma equipa de investigadores da Universidade de Washington (EUA) e do Museu da África do Sul.
A partir dos estudos feitos na região de Karro, na África do Sul, os investigadores concluíram que não foram apenas os oceanos que ficaram quase vazios de vida, mas também os rios que se tornarm numa "sopa" espessa de sedimentos. As causas que estiveram na origem desta grand extinção Pérmica continuam a gerar grande controvérsia nos meios científicos.
"Talvez o que eliminou os animais também tenha morto as plantas ao mesmo tempo" , disse o geólogo Dave Montgomery à Reuters, comentando o trabalho que sua equipa publicou na revista Science. "Mas seja o que for que causou a extinção, teve efeitos a nivel global" , adiantou.
Antes de esta extinção ter ocorrido, os mares da Terra estavam cheios de formas de vida fantásticas, desde os primeiros peixes até estranhos moluscos. As trilobitas, que apresentavam ampla dispersão geográfica, desapareceram definitivamente no fim do Pérmico.
Esta extinção ocorreu num intervalo de tempo de apenas um milhão de anos, o que pode ser considerado muito rápido à escala do tempo geológico.
Existem várias teorias sobre a origem desta crise biológica, nomeadamente o impacto de um asteróide. Outras possíveis explicações sugerem uma actividade vulcânica muito intensa a nível global, ou mesmo os efeitos da radiação emitida pela explosão de uma supernova.

Fonte: Público, 07/10/2000