quarta-feira, 19 de junho de 2013

Mineral - GRUPO DOS SILICATOS - SUBGRUPO DOS NESOSSILICATOS

Este grupo é constituído por tetraedros não polimerizados, unidos por cátions intersticiais que, de acordo com as suas dimensões e carga, coordenam o empacotamento da matéria definindo o arranjo interno dos minerais e consequentemente as formas externas (hábitos) dos minerais. Dessa forma, quando o cátion é suficientemente pequeno, como Be++ (0,35A0), somente é permitida a coordenação 4 com os oxigênios dos vértices do tetraedro fundamental, daí a dificuldade de arranjar os tetraedros de maneira a ocupar o mínimo de espaço possível e mantendo a neutralidade elétrica, de tal modo que cada cátion coordene somente quatro oxigênios. Isto conduz a estrutura bastante complexa da fenaquita e willemita (trigonal romboédrica).
O Mg++ e o Fe++ e os cátions com dimensões entre 0,5 e 09 A, resultam em coordenação 6 (octaédrica) com os oxigênios que ocupam os vértices dos tetraedros, desta forma, a estrutura é constituída pela combinação de octaedros e tetraedros, resultando na maioria dos casos em simetrias ortorrômbicas, como é o caso dos minerais do grupo da olivina, sendo que os minerais monticellita CaMgSiO4, larsenita PbZnSiO4 e outros com cátions grandes com coordenação 8 tendem a formar estruturas em camadas.
Os minerais do Grupo da Condrodita são constituídos por camadas da estrutura da olivina alternando-se com folhas de brucita (MgOH2), estruturalmente análogas. O flúor pode substituir o OH nas camadas de brucita coordenadas octaedricamente e os diferentes minerais desse grupo diferenciam-se pelas proporções das camadas de brucita em relação às camadas de olivina.
Os elementos Zr, Th e U possuem coordenação 8 (cúbica), com os oxigênios dos tetraedros de silício fazendo com que a estrutura resulte do empilhamento alternado de tetraedros e cubos deformados, dando origem a simetria tetragonal. Como esses elementos são tetravalentes a formula geral resultante é XSiO4 (zircão, torita e coffinita. Nesses minerais pode ocorrer substituição por Hf, Y e Ce em quantidades apreciáveis, além da substituição parcial dos tetraedros de SiO4 pelos agrupamentos (OH)4, como no caso da coffinita.
No grupo das granadas os tetraedros isolados são unidos por ligações oxigênio-cátion-oxigênio através de dois tipos estruturalmente distintos, com duas posições de coordenação diferentes, onde cátions bivalentes grandes ocupam a posição B e os cátions trivalentes menores, a posição C, gerando a fórmula B3C2(SiO4)3. O arranjo estrutural apresenta-se de tal modo que nos planos {100} e {111} existe uma menor densidade atômica, fazendo com que a forma mais comum de cristalização desses minerais seja a dodecaédrica. Outro aspecto importante desse grupo é a substituição parcial de SiO4 por (OH)4 gerando as hidrogranadas, em especial a hidrogrossulária, e entrada do Ti4+ na posição C concomitantemente com a substituição do Ca++ pelo Na+ na posição B, produzindo a melanita.
Os polimorfos Al2SiO5 possuem estruturas complexas em cadeias, semelhantes a fibras, em todas elas, um dos íons Al  coordenando solidamente a seis O (coordenação 6). Na sillimanita, o outro Al está na coordenação 4, gerando estrutura semelhante à do piroxênio, enquanto na andaluzita o segundo Al tem coordenação 5 com o oxigênio, resultando prismas tetragonais curtos, ao passo que na cianita os dois Al têm coordenação 6, gerando hábito tabular a colunar.
Os minerais topázio, estaurolita, datolita e dumortierita possuem estruturas complicadas pela presença da hidroxila, flúor e/ou boro.
Na titanita, um dos oxigênios que aparece na fórmula não é parte dos grupos Si-O-Si (tetraedros isolados), mas está ligado aos cátions entre os tetraedros. O Ti está ligado a seis oxigênios, nos vértices de um octaedro regular, ao passo que os íons Ca têm  número de coordenação 7 (sete), pouco usual, com respeito ao oxigênio.

Andaluzita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de andaluzita (róseo)
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Al2SiO5
Composição -
6,92 % Al2O3, 37,08 % SiO2
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbico

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Prismático, colunar, radial, granular
Clivagem - 
Distinta a perfeita {110}
Dureza -
6,5 - 7,5

Densidade relativa -
3,1 - 3,2
Fratura -
Subconchoídal
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Branco, vermelho-róseo, violeta, cinza-pérola, marrom-avermelhado, verde-oliva, apresenta pleocroísmo

Associação -
Associada a sillimanita, cianita, granadas, coríndon, turmalinas.
Propriedades Diagnósticas -
Hábito, dureza, testes químicos, propriedades ópticas. 
Ocorrência -
Encontrado em ardósias, xistos argilosos, gnaisses, micaxistos. Oriundo do metamorfismo de baixo a médio grau em rochas argilosas.
Usos - G
ema, em cerâmica refratária e indústria elétrica.

 Cianita


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
  cianita.jpg (19003 bytes)
Agregado de cristais de cianita com forma arbocescente
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Al2SiO5
Composição -
62,92 % Al2O3, 37,08 % SiO2
Cristalografia -
Triclínico
        Classe -
Pinacoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Laminar, colunar, fibroso
Partição - Presente em {001}
Clivagem - 
Excelente em {100} perfeita a boa {010}
Dureza -
5 - 7,2
Densidade relativa -
3,5 - 3,7
Partição -
Paralela a {001}
Brilho -
Lustroso a perláceo
Cor -
Azul, branco, cinza, verde, preto.

Associação -
Associada a muscovita, paragonita, granadas, coríndon, estaurolita.
Propriedades Diagnósticas -
Hábito, cor (em geral azul), dureza (em duas direções), testes químicos, propriedades ópticas. 
Ocorrência -
Formado pelo metamorfismo regional de pressão média a alta em rochas pelíticas. Encontrado em micaxistos, gnaisses, eclogitos. Encontrado também em veios pegmatitícos.
Usos - G
ema, em cerâmica , refratários, indústria elétrica.

Damburyta 



Fórmula Química - CaB2(Si2O8)

Composição -
 Silicato de cálcio e boro

Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal Rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo ou negativo

Hábito -
Prismático
Foto do Mineral
Cristal de danburita
Clivagem - Indistinta {001}
Dureza -
7 - 7,2
Densidade relativa -
2,9 - 3,2
Fratura -
Subconchoídal
Brilho -
Lustroso, vítreo a brilhante
Cor -
Incolor, amarelo-pálido, marrom-amarelado

Associação -
 Associada a dolomita, oligoclásio e microclínio.
Propriedades Diagnósticas -
Apresenta fosforecência, insolúvel em HCl, testes químicos. 
Ocorrência -
Ocorre em granitos e riólitos, veios ou cavidades, sendo nestes últimos resultado de cristalização pneumatolítica residual de magmas. Ocorre também em alguns xistos e gnaisses, como resultado do mesmo processo.
Usos - G
ema.


 Datolita

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais prismáticos de datolita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - CaB(SiO4)(OH)
Composição - 
35,05 % CaO, 37,56 % SiO2, 21,76 % B2O3, 5,63 % H2O
Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismática

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Prismático, tabular, radial, compacto, criptocristalino
Clivagem -
Não apresenta
Dureza -
5 - 5,5
Densidade relativa -
2,9 - 3
Fratura - Conchoidal
Brilho -
Lustroso a vítreo
Cor -
Branco, cinza, amarelo, verde, vermelho

Associação -
Associada a calcita, prehnita, zeólitas, damburyta, topázio. 

Propriedades Diagnósticas -
Aspecto de vidro, testes químicos, cor, hábito, propriedades ópticas. 
Ocorrência -
Frequentemente encontrado em cavidades e veios de rochas hipoabissais vulcânicas, quase sempre como mineral secundário. Presente também em skarnitos, serpentinitos e hornblendaxistos.
Usos - Não tem.


Estaurolita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de estaurolita com geminação característica
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - (Fe,Mg)2Al9O6[SiO4]4(O,OH)2
Composição - 
0,18 % Li2O, 0,50 % MgO, 54,63 % Al2O3, 12,39 % FeO, 28,86 % SiO2, 2,55 % H2O
Cristalografia - Pseudo-orotorrômbico
        Classe - Esfenoídal

Propriedades Ópticas - Biaxial positivo

Hábito -
Cruciforme, prismático
Clivagem - Moderada {010}
Dureza - 6 - 7,5
Densidade relativa - 3,7 - 3,8
Fratura - Subconchoídal
Brilho - Subvítreo a resinoso
Cor - Marrom-escuro, marrom-avermelhado, marrom-amarelado, azul.
Apresenta pleocroísmo característico

Associação - Associada a cianita, clorita, sillimanita, quartzo, biotita.
Propriedades Diagnósticas -
Associação mineral, hábito e característcas ópticas.
Ocorrência -
Mineral típico de rochas metamórficas de médio grau ricas em alumínio, também comum em sedimentos clásticos devido a sua resistência ao intemperismo químico.
Usos - Coleções e amuletos.


Euclásio 


Fórmula Química - BeAlSiO4(OH)

Composição -
 17,24 %  BeO, 35,14 %  Al2O3, 41,41 % SiO2, 6,21 % H2O

Cristalografia - Monoclínico
        Classe - Esfenoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Prismático
Foto do Mineral
Cristal de euclásio
Clivagem - Perfeita {010}
Dureza -
7,5

Densidade relativa -
3 - 3,1
Fratura -
Conchoídal
Brilho -
Vítreo
Cor -
Incolor, verde-pálido a azul

Associação -
Associado a calcita, prehnita, zeólitas
Propriedades Diagnósticas -
Dureza, hábito, cor, brilho, local de ocorrência.
Ocorrência -
Em veios ou cavidades de rochas eruptivas, de origem secundária em pegmatitos. Presente também em veios ou filões metalíferos.
Usos - Gema.


Gadolinita


Foto do Mineral
Forma Cristalográfica
Cristal de gadolinita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - YFeBe(SiO)4O2
Composição - 20,96 % REE2O3, 12,88 % La2O3, 19,61 % Ce2O3, 6,35 % Y2O3, 1,25 % MnO, 8,35 % BeO, 9,47 % FeO, 21,11 % SiO2
Cristalografia - Monoclínico
        Classe -
Esfenoídal

Propriedades Ópticas - Biaxial positivo

Hábito -
Prismático, granular, maciço. Os cristais prismáticos, às vezes, aparecm achatados
Clivagem - Ausente
Dureza -
6,5 - 7

Densidade relativa - 4 - 4,65
Fratura -
Conchoídal
Brilho -
Vítreo a graxo
Cor -
Verde-escuro, marrom, preto, transparente

Associação -
Associada a allanita e fluorita, em granitos e em pegmatitos
Propriedades Diagnósticas -
Hábito, cor, brilho, propriedades ópticas, associação mineral.
Ocorrência -
Ocorre principalmente em veios pegmatíticos, em conjunto com outros minerais que contém elementos terras raras.
Usos - Fonte de terras raras, em especial de ítrio.


 

 Merwinita


Fórmula Química - Ca3Mg(SiO4)2

Composição - 
51,18 % CaO, 12,26 % MgO, 36,56 % SiO2

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismático

Propriedades Ópticas -
Biaxial

Hábito -
Prismático
Foto do Mineral
Rocha rica em cristais de merwinita
Clivagem - Clivagem perfeita {010} e frequente geminação lamelar {110} e mais raramente {100}
Dureza -
6
Densidade relativa -
3,1 - 3,3
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Mineral branco

Associação -
 Geralmente associada com tilleyíta, spurrita, larnita e  rankinita.

Propriedades Diagnósticas -
 As características particulares do mineral são ópticas, incolor em seção delgada e relevo forte.
Ocorrência -
Ocorre em calcártios que sofreram metamorfismo de contato de alta temperatura.
Usos - Não tem.

 Safirina

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de safirina
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - (Fe,Mg)2Al4O6SiO4
Composição -
  35,39 % MgO, 48,49 % Al2O3, 13,19 % SiO2
Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Pinacoidal

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo e positivo

Hábito -
Prismático
Clivagem -
Clivagem fraca {010}, {001} e {100} e geminação de repetição {010} e{100}
Dureza -
7,5
Densidade relativa -
3,4 - 3,6
Brilho -
Vítreo
Cor -
Mineral azul claro ou verde

Associação -
Ocorre juntamente com espinélio, cordierita, coríndon, ortopiroxênio, sillimanita, biotita, plagioclásio cálcico; ortoclásio, antofilita e cornerupina.

Propriedades Diagnósticas -
Mineral de clivagens típicas .
Ocorrência -
É um mineral relativamente raro, típico de rochas ricas em alumínio e pobres em sílica submetidas a metamorfismo regional e de contato de alta temperatura e baixas pressões.
Usos - Pode ser usada como gema.



Sillimanita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais lamelares de sillimanita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Al2SiO5
Composição -
62,92 %  Al2O3, 37,08 % SiO2  
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal Rômbico

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Prismático, estriado, fibroso, colunar, radial.
Clivagem - 
Excelente em {010}
Dureza -
6 - 7
Densidade relativa - 3,2 -3,3
Brilho -
Lustroso a subadamantino
Cor -
Marrom, marrom-acinzentado, branco-acinzentado, verde-acinzentado, verde-oliva pálido.

Associação -
Associada a andaluzita, cordierita, coríndon.
Propriedades Diagnósticas -
Hábito (em geral fibroso a colunar), clivagem, testes químicos e propriedades ópticas. 
Ocorrência -
Presente em rochas metamórficas de alto grau, de pressão baixa a média,   frequentemente em gnaisses e hornfels. Ocorre também em alguns granitos, em pequena quantidade.
Usos - G
ema, em porcelana - refratária, indústria elétrica.

Titanita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de titanita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - CaTiOSiO4
Composição - 28,61 % CaO, 40,75 % TiO2, 30,65 % SiO2
Cristalografia -
Monoclínico
        Classe - Prismática

Propriedades Ópticas - Biaxial positivo

Hábito -
Prismático, lamelar, maciço, compacto, frequentemente com formas losangulares e terminações em cunha
Partição - Paralela a {221}
Clivagem - Boa em {110}
Dureza - 5 - 5,5
Densidade relativa - 3,4 - 3,5
Partição - Paralela a {221}
Brilho - Lustroso, adamantino a resinoso
Cor - Incolor, amarelo, verde, marron a preto.

Associação -
Associado a adulária, albita, epidoto, plagioclásio, hornblenda. 

Propriedades Diagnósticas -
Brilho, hábito, dureza, formato esfenoídal em lâmina delgada, propriedades ópticas.  
Ocorrência -
Mineral acessório de rochas ígneas ácidas a intermediárias, abundante em nefelina-sienitos. Presente também em rochas metamórficas como xistos e gnaisses ricos em minerais ferromagnesianos, calários impuros e skarnitos.
Usos -
Gema e fonte de titâneo.
 

 Topázio


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal prismático de topázio
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Al2SiO4(OH,F)2
Composição - 
55,95 % Al2O3, 32,97 % SiO2, 4,45 % H2O, 11,47 % F
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Prismático
Clivagem -
Excelente em {001}
Dureza - 8
Densidade relativa - 3,4 - 3,6
Fratura - Subconchoídal
Brilho - Vítreo
Cor - Branco, amarelo-vinho, amarelo-palha, cinza, verde, azul, vermelho.


Associação -
Associado a fluorita, cassiterita, turmalina, muscovita. 

Propriedades Diagnósticas -
Apresenta fosforecência, insolúvel em HCl, testes químicos. 
Ocorrência -
Ocorre em granitos e riólitos, veios ou cavidades, sendo nestes últimos resultado de cristalização pneumatolítica residual de magmas. Ocorre também em alguns xistos e gnaisses, como resultado do mesmo processo. Frequentemente encontrado em pegmatitos.
Usos - G
ema e indústria de refratários.

 Torita

Fórmula Química - ThSiO4

Composição -
 81,46 % ThO2, 18,54 % SiO2

Cristalografia -
Tetragonal
        Classe - Bipiramidal tetragonal

Propriedades Ópticas -
Uniaxial positivo

Hábito -
Prismático a maciço
Foto do Mineral
Cristal de torita
Clivagem -  clivagem distinta {110};
Dureza -
4,5 - 5
Densidade relativa -
5,2 - 5,4 (4 a 4,8 em variedades alteradas)
Brilho -
Terroso, resinoso
Cor -
Marrom, preto, às vezes amarelo-alaranjado

Associação -
 Pode estar associado a  minerais alumino silicáticas.

Propriedades Diagnósticas -
Pode ser identificada pelo traço laranja claro a preto-amarronzado e pela forte radiatividade. 
Ocorrência -
Mineral raro encontrado principalmente em pegmatito. Pode ser explotado como mineral de minério de Th. A variedade de torita alterada ThSiO4.nH2O é denominada orangita, termo oriundo do francês orange (laranja), por sua cor que é amarelo-laranja, brilhante.
Usos - Mineral de minério de Th.


Willemita 


Fórmula Química - Zn2SiO4

Composição -
  73,04 % ZnO, 26,96 % SiO2

Cristalografia -
Trigonal
        Classe -
Prisma hexagonal

Propriedades Ópticas -
Uniaxial positivo

Hábito -
Globular ou maciço
Foto do Mineral
wiliemita.gif (26494 bytes)
Cristais globulares de wilemita
Clivagem -  Perfeita em {0001}
Dureza -
5,5
Densidade relativa -
3,9 - 4,2
Brilho -
Brilho resinoso, vítreo a submetálico
Cor -
Branco, amarelo-esverdeado, verde, avermelhado, marrom ou preto

Associação -
 Geralmente associada a minerais ricos em zinco.
Propriedades Diagnósticas -
Pode ser identificada pelo seu hábito e brilho.
Ocorrência -
Resulta do metamorfismo sobre o mineral hidratado hemimorfita e alteração da blenda.
Usos - Mineral de minério de Zn.


 Zircão


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de zircão em biotita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - ZrSiO4
Composição -
67,22 % ZrO2,  32,78 % SiO2
Cristalografia - Tetragonal
        Classe - Bipiramidal tetragonal

Propriedades Ópticas - Uniaxial positivo

Hábito -
Prismático, piramidal, granular
Clivagem - Imperfeita em {110}
Dureza - 7,5
Densidade relativa - 4,6 a 4,7
Fratura - Conchoidal
Brilho - Resinoso a adamantino
Cor - Incolor, amarelo-pálido, amarelo-esverdeado, marrom-amarelado, vermelho.


Associação -
Variável. 

Propriedades Diagnósticas -
Dureza, hábito, brilho, propriedades ópticas e testes químicos. 
Ocorrência -
Mineral acessório de rochas plutônicas, principalmente rochas ricas em sódio, em  granitos, pegmatitos, nefelina-sienitos. Acessório também em rochas sedimentares, como arenitos.
Usos - Gemas, produção de opacidantes cerâmicos, obtenção de oxido de zircônio para utilização na indústria química, entre outras
.

GRANADAS

Almandina 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de almandina em rocha
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Fe3Al2(Si3O12)
Composição -
  20,48 % Al2O3, 43,30 % FeO, 36,21 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazezoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
7 - 8
Densidade relativa -
4,3
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Marrom-avermelhado a preto

Associação -
Associada a cianita, sillimanita.

Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Mineral mais comum de seu grupo, freqüentemente associado a micaxistos, em geral é resultado de metamorfismo regional de sedimentos argilosos.
Usos - Gema, abrasivos.


 Andradita


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de andradita
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Ca3(Fe,Ti)2Si3O12
Composição -
  33,11 % CaO, 28,28 % FeO, 35,47 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazezoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
6,5 - 7
Densidade relativa -
3,7 - 4,1
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Vinho, amarelo-vinho, verde-amarelado, marrom-avermelhado a preto

Associação -
Associada a hedenbergita, magnetita, nefelina, leucita.

Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Associada a calcários impuros, como resultado de metamorfismo termal ou de contato. Presente também em skarnitos por ação metassomática.
Usos - Gema e abrasivos.


 Espessartita


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de espessartita
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Mn3Al2(Si3O12)
Composição -
  42,99 % MnO, 20,60 % Al2O3, 36,41 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazezoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
6 - 7,5
Densidade relativa -
4 - 4,3
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo, lustroso a resinoso
Cor -
Vermelho-jacinto escuro, violeta, marrom-avermelhado

Associação -
Associado a almandina, rodonita tefroite, rodocrosita, quartzo.
Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Associado a granitos pegmatíticos, certos skarnitos ricos em manganês. Associado também a rochas metamórficas derivadas de grauvacas.
Usos - Gema e abrasivos.




 Piropo



Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de piropo
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Mg3Al2(Si3O12)
Composição -
  29,99 % MgO, 25,29 % Al2O3, 44,71 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazezoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
6 - 7,5
Densidade relativa -
3,5 - 3,75
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo, lustroso a resinoso
Cor -
Marrom-avermelhado a preto

Associação -
Associado a espinélio, cromita.
Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Associado a certas rochas ultrabásicas como mica peridotitos, dunitos, kimberlitos. Ocorre também em serpentinitos, quando esta rocha é derivada de peridotitos.
Usos - Gema, abrasivos.


 Grossularia


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de grossulária
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Ca3Al2Si3O12
Composição -
  37,35 % CaO, 22,64 % Al2O3, 40,02 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazezoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
6,5 - 7,5
Densidade relativa -
3,4 - 3,7
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Vinho, amarelo-vinho, verde-amarelado, marrom-avermelhado a preto

Associação -
Associado a wollastonita, diopsídio, escapolita, idocrásio.

Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Frequentemente associado a rochas cálcio-silicáticas, em geral é resultado de metamorfismo regional de sedimentos argilosos ricos em cálcio (carbonatos).
Usos - Gema, abrasivos.


 Uvarovita


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de uvarovita (verdes)
Modelo cristalográfico
Fórmula Química - Ca3Cr2Si3O12
Composição -
  33,61 % CaO, 27,17 % CrO, 36,02 % SiO2
Cristalografia -
Isométrico
        Classe -
Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Dodecaédrico, trazoidal
Partição - 
Presente em {110}
Dureza -
6 - 7,5
Densidade relativa -
3,4 - 3,8
Fratura -
Subconchoidal
Brilho -
Vítreo a resinoso
Cor -
Verde-esmeralda

Associação -
Associada a cromita, grossulária.
Propriedades Diagnósticas -
Isotropia, densidade, propriedades ópticas e químicas. 
Ocorrência -
Mineral menos frequente de seu grupo. Encontrado em serpentinitos, sempre em conjunto de cromita.
Usos - Gema, abrasivos.


HUMITA

humita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de humita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Mg(OH,F)2.3(Mg2SiO4) = Mg7Si3O12(OH,F)2
Composição -
39,29 % MgO,   23,34 % FeO, 33,47 % SiO2, 0,84 % H2O, 5,29 % F
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Tabulares segundo{100} ou {001}
Clivagem -  Indistinta {001}
Dureza -
6 - 6,5
Densidade relativa -
3,1 - 3,2
Brilho -
Vítreo a terroso
Cor -
Branco, amarelo ou marrom

Associação -
 Normalmente associada a minerais carbonáticos e a olivina.

Propriedades Diagnósticas -
Pode ser identificada pela sua densidade, hábito e propriedades ópticas (pleocroísmo, relevo e figura de interferência). 
Ocorrência -
Restrita aos carbonatitos e aos calcários e dolomitos submetidos a metamorfismo e metassomatismo, e a escarnitos associados a jazidas minerais, nos contatos com rochas plutônicas ácidas.

 OLIVINA

Fosterita 


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de forsterita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - Mg2SiO4
Composição -
 57,29 % MgO, 42,71 % SiO2
Cristalografia - Ortorrômbico
        Classe - Bipiramidal Ortorrômbica

Propriedades Ópticas - Biaxial positivo

Hábito -
Tabular, prismático
Clivagem - 
Imperfeita {100} e {010}
Dureza -
6,5 - 7

Densidade relativa -
3,2 - 3,3
Fratura -
Conchoídal
Brilho - Resinoso
Cor -
Incolor, branco, verde ou amarelo

Associação -
Associada a enstatita, diopsídio, hornblenda.
Propriedades Diagnósticas -
Propriedades ópticas, dureza, hábito, associação mineral.
Ocorrência -
Encontrada em rochas ígneas como dunitos, peridotitos, gabros, doleritos, basaltos, entre outras.
Usos - Gema, cerâmica.


 Knebelita (Faialita)


Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Rocha rica em cristais de knebelita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - (Fe,Mn,)2SiO4
Composição -
70,51 % FeO,  29,49 % SiO2
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal ortorrômbica

Propriedades Ópticas - Biaxial negativo

Hábito -
Tabular, prismático
Clivagem -
Moderada {010}
Dureza - 6 - 6,5
Densidade relativa - 3,7 - 4,2
Fratura -
Conchoídal
Brilho - Lustroso a víttreo
Cor - Marrom-escuro, cinza-escuro, incolor

Associação -
Associada a minerais ricos em ferro e manganês.
Propriedades Diagnósticas - Propriedades ópticas, dureza, hábito, associação mineral.
Ocorrência -
Encontrada em depósitos ferro-manganesianos,  presente também em skarnitos.
Usos - Fonte de ferro e manganês