quarta-feira, 26 de junho de 2013

Mineral GRUPO DOS SILICATOS - SUBGRUPO DOS TECTOSSILICATOS


É o grupo dos silicatos mais importante volumetricamente, uma vez que, perfaz quase  75% do volume ocupado pela crosta terrestre. Os minerais dessa subdivisão dos silicatos é constituída por tetraedros de SiO4 ligados tridimensionalmente, de maneira que todos os oxigênios dos vértices dos tetraedros são compartilhados com os tetraedros vizinhos, resultando uma estrutura fortemente unida, estável, em que a relação Si:O é 1:2. Fazendo parte dessa subdivisão dos silicatos aparecem os grupos ou famílias da sílica, feldspatos, feldspatóides, escapolita e zeólita.
Excetuando as variedades polimórficas de SiO2, os tectossilicatos originam-se pelo aparecimento do Al com coordenação 4 formando tetraedros com o oxigênio, quase idênticos no tamanho e na configuração aos tetraedros constituídos por Si e O. Os tetraedros AlO4 unem-se aos tetraedros SiO4 compartilhando íons de oxigênio de maneira a formar estrutura tridimensional más, como o Al é trivalente e o Si é tetravalente, na estrutura formada irá sobrar uma carga negativa, exigindo a entrada de um cátion monovalente, para cada tetraedro coordenado pelo Al. Dessa forma a introdução de um cátion bivalente necessita de dois tetraedros coordenados pelo Al, e assim por diante. Todavia, a entrada do Al com coordenação 4 não pode ser considerada como uma "solução sólida" ou "substituição iônica" do Si pelo Al, uma vez que o Al não aparece em qualquer porcentagem, varia de uma espécie mineral para outra, e nunca pode substituir todo o Si. Dessa forma o Al é um constituinte essencial, presente em quantidades estequiométricas, e não pode ser substituído pelo Si sem desintegrar a estrutura. Todavia, em alguns grupos de minerais, quando um cátion monovalente é substituído por outro bivalente, como, por exemplo, o Na pelo Ca no plagioclásio, a quantidade de Al com coordenação 4 varia em proporcionalmente às quantidades relativas de Ca e Na, de modo a manter a neutralidade elétrica. Neste caso, a variação da quantidade de Al pode ser considerada como parte de um processo de substituição iônica acoplada.