quinta-feira, 2 de maio de 2013

MINERAIS (ELEMENTOS NATIVOS)

Cerca de 34 elementos químicos podem ocorrer no estado nativo. Destes, seis são gases nobres (He, Ne, Ar, Kr, Xe e Rn) que não podem formar compostos químicos devido ao fato deles terem o último orbital totalmente preenchidos com dois ou oito elétrons. Quatro (H, N, O e Cl) apenas ocorrem no estado nativo como gases ou muito raramente como líquidos em algumas inclusões fluidas de minerais. Os outros 24 (vinte e quatro) elementos restantes (C, S, Mn, Fe, Co, Ni, Cu, Zn. Ru, Rh, Pd, Ag, Os, Ir, Pt, Au, Hg, As, Se, Sn, Sb, Te, Pb e Bi) podem estar presente na crosta da Terra formando cristais ou minerais.
Os vinte e quatro elementos citados acima formam cerca de 80 espécie e variedades de minerais classificados por critérios químicos e cristalográficos, excedendo em muito o numero de elementos constituinte. Este fato resulta da ocorrência de variedades polimórficas (diamante-grafita), enxofre monoclínico-enxofre ortorrômbico, etc.) e pelas soluções sólidas a exemplo do electrum (Au, Ag) e paládio platina (Pt,Pd).
 
 
 ANTIMONIO 

Fórmula Química - Sb

Composição - 100% Sb

Cristalografia -
Trigonal
Classe - Hexagonal escalenoedral

Propriedades Ópticas -
Anisotropia fraca a distinta, branco

Hábito -
Maciço, lamelar, reticular
Foto do Mineral
Cristais de antimonio

Clivagem - {0001} perfeita
Dureza - 3 - 3,5
Densidade relativa - 6,66
Fratura -
Quebradiço

Brilho -
Metálico
Cor -
Branco-azulado, acinzentado

Associação -
Pode ser obtido da estibinita, bindheimita, bournonita, jamesonita, quermesita, cervantita, estibiconita e tetraedrita.
Propriedades Diagnósticas - Metal branco-azulado, de brilho metálico, quebradiço, que forma massas friáveis, lamelares ou informes. Dá um pó cinza escuro, mau condutor elétrico e térmico, e quando resfriado dilata-se ao invés de se contrair.
Ocorrência -
Tem forte tendência a formar antimoniatos; combinando com titânio, forma minerais raros.
Usos - Em ligas com outros metais, principalmente o Pb, para que estas tenham sua resistência aumentada e assim inibir sua corrosão. Também utilizado em tubos de dentifrícios, soldas, transmissão de energia, equipamentos de comunicação, projéteis de armas de fogo, tipografia, fogos de artifício, fósforos, medicamentos, pigmentos, diodos, vulcanização, semicondutores, detetores de infravermelho, cerâmica, etc.


ARSENICO
 

Fórmula Química - As

Composição - 100% As

Cristalografia -
Trigonal
Classe - Hexagonal Escalenoedral

Propriedades Ópticas -
Anisotropia fraca a moderada, branco

Hábito -
Nodular, reniforme, lamelar
Foto do Mineral
Cristais de arsenico em rocha

Clivagem - {0001} perfeita
Dureza -
3,5
Densidade relativa - 5,7
Brilho - Metálico
Cor - Cinza ou branco

Associação - Forma mais de 10 minerais como: loellinguita, tennardita, realgar, ouro-pigmento, escorodita, enargita e arsenopirita.
Propriedades Diagnósticas - Hábito, embaçamento, densidade, brilho e clivagem perfeita.
Ocorrência -
Veios hidrotermais de baixa temperatura e zona de alteração de depósitos minerais com arsênio.
Usos - É utilizado na fabricação de espelhos metálicos, para preparar papéis de mata-moscas, forma compostos químicos na agricultura para preservação de madeira, na obtenção de chumbo-de-caça, pigmentos, vidros, óxidos para medicina, sulfetos em tintas e em artefatos pirotécnicos e o arseniato de gálio usado para produção de laser.


BISMUTO
Fórmula Química - Bi

Composição - 100% Bi

Cristalografia -
Trigonal
Classe - Ditrigonal-escalenoedral

Propriedades Ópticas -

Hábito -
Lamelar, granular
Foto do Mineral
Cristais de bismuto
Clivagem - {0001} perfeita
Dureza - 2 - 2,5
Densidade relativa -
9,70 - 9,83
Brilho - Metálico
Cor -
Branco rosado, branco prateado, vermelho

Associação -
Com metais de prata e cobalto.
Propriedades Diagnósticas - Embaçamento amarelo-avermelhado, forte brilho metálico, clivagem perfeita e densidade alta.
Ocorrência -
Pode ser obtido a partir da bismutinita, eulitina, bismutocre, bismita, bismuto nativo, emplectita, e na metalurgia do Pb.
Usos -
Cosméticos, medicamentos, porcelanas, em vidros especiais como o vidro óptico, tecidos estampados, galvanização de metais como o cobre, granada de mão, etc.

CHUMBO
Fórmula Química - Pb

Composição - 100% Pb

Cristalografia -
Isométrico
Classe - Hexoctaedral

Propriedades Ópticas - Isotrópico, branco

Hábito -
Cúbico
Foto do Mineral
Cristais de chumbo
Dureza - 2 - 2,5
Densidade relativa - 11,35
Fratura -
Quebradiço

Brilho - Metálico
Cor -
Branco-azulado

Associação - Galena, cerussita, anglesita, boulangerita.
Propriedades Diagnósticas - Metal encontrado no estado nativo em pequeníssima quantidade de cor branco-azulado, brilhante, mole, maleável, pouco tenaz, mau condutor elétrico, resistente à corrosão, dúctil e séctil.
Ocorrência -
Ocorre em 60 minerais. É obtido principalmente da galena, cerussita, anglesita, boulangerita, bournonita, piromorfita, jamesonita e wulffenita.
Usos - Recipientes para líquidos corrosivos, ligas para tipografia, ligas e soldas, cabos, baterias e acumuladores, aditivo para gasolina, isolante radiológico, absorvente de vibrações, óxidos e pigmentos, vidros especiais, inseticidas, recobrimento de cabos elétricos, PVC, projéteis para armas de fogo, etc.


COBRE

Fórmula Química - Cu

Composição - 100% Cu

Cristalografia -
Isométrico, hexaoctaédrico. Forma cristais tetrahexaédricos, cúbicos, octaédricos e/ou dodecaedros.
Classe -
Hexaoctaedral

Propriedades Ópticas - Isotrópico, rosa

Hábito -
São comuns cristais mal formados, em grupos ramificados e arborecentes, escamas, placas, fios e massas irregulares.
Foto do Mineral
Cristais de cobre

Clivagem -
Dureza -
2,5 - 3
Densidade relativa - 8,8 - 8,94
Fratura -
Irregular

Brilho - Metálico
Cor - vermelho do cobre em superfícies recentes, e escuro de brilho fosco por oxidação.

Associação - Calcopirita, Cu nativo, calcocita, bornita, azurita, pseudomalaquita, crisocola, covelita, cuprita, tetraedrita, malaquita, enargita, bornonita, tennantita, brochantita, tenorita e calcantita. Forma aproximadamente 165 minerais.
Propriedades Diagnósticas - Cor vermelha em superfícies recentes, fratura serrilhada, densidade relativa alta, maleabilidade e testes químicos. No ar seco, recobre-se de uma fina camada de óxido que o protege, já na presença de umidade forma o azinhavre [CuCo3.Cu(OH)2].
Ocorrência -
Mineral originado por oxidação, na zona de cimentação, nos filões mineralizados em cobre, juntamente com cuprita, malaquita e azurita crisocola. Aparece também associado a extrusivas básicas, em amígdalas e veios, gerados por processos hidrotermais de baixa temperatura.
Usos - Principalmente na indústria elétrica e eletrônica e em ligas: latão (cobre-zinco) e bronze (cobre-estanho). É usado também na indústria química (tintas, pigmentos, pesticidas, defensivos agrícolas), joalheria, cunhagem de moedas, tratamento de águas, análises químicas, objetos ornamentais e embalagens.


DIAMANTE
Fórmula Química - C
Composição - C
Cristalografia -
Isométrico
Classe -
Hexoctahedral

Propriedades Ópticas - Isotrópico, n = 2,4175 - 2,4178

Hábito -
Granular, octaédrico, dodecaédrico, tetraédrico
Foto do Mineral
Cristal de diamante em rocha
Clivagem - {111} perfeita
Dureza - 10
Densidade relativa -
3,51
Fratura -
Conchoidal
Brilho - Adamantino
Cor - Transparente, branco, cinza, preto, azul ou amarelo

Associação - Pode ser encontrado em quimberlito
, lamproítos, eclogitos, meteoritos e nos sedimentos e rochas com contribuição dessas rochas, tais como cascalhos de aluviões, conglomerados, metaconglomerados, tilitos, diamictitos.
Propriedades Diagnósticas - Alta condutibilidade térmica, dureza extrema, brilho adamantino; formas cristalográficas características, insolubilidade e alto índice de refração. É importante ressaltar que raramente são encontrados em secções delgadas, mesmo de rochas diamantíferas, por não poder ser polido por processos comuns.
Ocorrência -
Gerados em grande profundidade, onde a pressão em relação ao grau geotérmico permite sua geração, sendo que quanto maior o grau geotérmico mais profundo seu ambiente de formação. Dessa forma, esse mineral apenas pode aparecer na superfície trazido por magmas de origem profunda e ascensão rápida (quimberlíticos e lamproíticos) , pois se a subida for lenta, há possibilidade de formação de grafita, com a diminuição da pressão e manutenção da temperatura.
Usos - Gema na joalheria, ferramentas de corte, brocas, abrasivos, serras diamantadas, fios diamantados, "canetas" para cortar vidro.



ENXOFRE
Fórmula Química - S8

Composição - 100%
S

Cristalografia -
Ortorrômbico
Classe - Bipiramidal

Propriedades Ópticas - Biaxial positivo

Hábito -
Maciço, estalactítico
Foto do Mineral
Cristal de enxofre em rocha

Clivagem - Imperfeita {001}, {110} e {111}
Dureza -
1,5 - 2
Densidade relativa - 2,05 - 2,09
Fratura -
Sétil
Brilho - Resinoso
Cor -
Amarelo - limão, incolor em secção delgada
Associação - Anidrita, gipsita
Propriedades Diagnósticas - Insolúvel na água e nos ácidos, cor amarelo-limão, incolor em secções delgadas, quebradiço e sem odor.
Ocorrência -
Produto de sublimações vulcânicas, fontes termais, reações de redução de sulfatos, oxidação parcial de sulfetos. Encontrado em depósitos de anidrita/gipsita; cones vulcânicos e fontes termais.
Usos - I
ndústria de fertilizantes; na fabricação de papel, fibras de celulose, explosivos, tintas de impressões, detergentes, inseticidas, borracha; indústria petroquímica e metalurgia.

IRIDIO

Fórmula Química - Ir

Composição - 100% Ir

Cristalografia -
Isométrico
Classe -
Hexoctaédraca

Propriedades Ópticas - Isotrópico, branco

Hábito -
Pepitas, dentritos, maciço
Foto do Mineral
Cristal de irídio

Dureza - 6 - 7
Densidade relativa - 22,7
Fratura - Irregular
Brilho - Metálico
Cor - Branco

Associação - Ocorre em associação com outros platinóides, ouro e prata.
Propriedades Diagnósticas - É o metal mais resistente à corrosão que se conhece.
Semelhante à platina (dr = 22,4), porém mais duro que este.
Ocorrência -
Pode ser obtido pela metalurgia do níquel e da platina, nevyanskita e sysertskita.
Usos - Joalheria, penas de canetas, fornos elétricos, tubos de raio X e ligas com platina para instrumentos de precisão, cirúrgicos e elétricos.


MERCÚRIO
Fórmula Química - Hg

Composição - 100% Hg

Cristalografia -
Trigonal
Classe - Hexagonal escalenoedral

Hábito -
Líquido
Foto do Mineral
Cristais de mercúrio
Densidade relativa - 13,6
Brilho - Metálico
Cor - Branco ou cinza-esbranquiçado

Associação - Cinábrio e calomelano.
Propriedades Diagnósticas - Metal líquido, pesado, prateado, muito volátil, relativamente mau condutor de calor e de eletricidade.
Ocorrência -
Raramente aparece no estado nativo, associado ao cinábrio em filões hidrotermais de baixa temperatura.
Usos - Fabricação de álcalis e cloro, células eletrolíticas, aparelhos elétricos, produtos farmacêuticos, baterias, termômetros, lâmpadas de raio X, barômetros, pesticidas, catalisadores, explosivos (fulminato), pigmentos, compostos orgânicos, espelhos (com o Sn), odontologia (com Ag), tinta anticorrosiva, extração de Au e Ag, interruptores elétricos e solvente para muitos metais e para beneficiar o ouro e a prata.

OURO
 
Fórmula Química - Au

Composição - 100% Au

Cristalografia -
Cúbico
Classe - Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Opaco

Hábito -
Cúbico, octaédrico, pepitas, dendríticos
Foto do Mineral
Cristais de ouro
Clivagem - Ausente
Dureza - 2,5 - 3
Densidade relativa - 19,3
Brilho -
Metálico
Cor -
Amarelo-dourado

Associação -
Ocorre com pirita, arsenopirita, silvanita, quartzo, calaverita e outros minerais.
Propriedades Diagnósticas - Densidade, cor, dureza, associação mineral.
Ocorrência -
Origem primária em filões hidrotermais e em contato com depósitos metamórficos e pegmatíticos. Ocorre tembém em depósitos de placer, de origem secundária.
Usos - Usado em joalheria, equipamentos eletrônicos e medicina.

PALÁDIO

Fórmula Química - Pd

Composição - 100% Pd

Cristalografia -
Isométrico
Classe - Hexoctaédrica

Propriedades Ópticas - Isotrópico, branco

Hábito -
Granular, pepita, dentritos
Foto do Mineral
Cristais de paládio
Dureza - 4,5 - 5
Densidade relativa - 11,55
Fratura - Irregular, estilhaçada
Brilho - Metálico
Cor - Branco ou acinzentado

Associação - Forma um selenieto e aparece nos minérios sulfetados de níquel; também nos minerais stíbio-paladinita, braggita e porpezita. Associado em ligas com Pt e Au.
Propriedades Diagnósticas - Maleabilidade, mole, dúctil, com notável capacidade de absorção de H (até 900 vezes o seu próprio volume).
Ocorrência -
Ocorre no estado nativo sob forma de pequenos grãos (pepitas) soltos em pláceres e principalmente formando ligas com platina e ouro.
Usos - Catalisador, em joalheria,
em ligas com Au, odontologia, relojoaria, instrumentos cirúrgicos, espelhos de instrumentos astronômicos, na ignição do hidrogênio

PLATINA
 
Fórmula Química - Pt

Composição - 100% Pt

Cristalografia -
Isométrico
Classe - Hexoctaedrica

Propriedades Ópticas - Isotrópico, branco

Hábito -
Granular
Foto do Mineral
Cristal de platina
Dureza - 4 - 4,5
Densidade relativa - 14 - 22
Fratura -
Quebradiço
Brilho - Metálico
Cor - Branco-acinzentado

Associação -
As principais fontes são a platina nativa, platinirídio, sperrylita, polixênio, cooperita e ferro-platina.
Propriedades Diagnósticas - Similar à prata, diferenciando-se da mesma por apresentar densidade, ponto de fusão e dureza mais elevada. Não apresenta a oxidação da prata e é praticamente insolúvel.
Ocorrência -
Aparece como mineral primário em rochas basálticas a ultrabásicas (dunitos, piroxenitos, gabros).
Usos - Catalisadores especialmente na produção de ácido nítrico e da gasolina de alta octanagem, proteção de cascos de navios, fabricação de fibras sintéticas, indústria elétrica-eletrônica, liga com cobalto (magnética), fornos elétricos de alta temperatura, ogivas de mísseis, pirômetros e fotografias.


PRATA

Fórmula Química - Ag

Composição - 100% Ag

Cristalografia -
Cúbico
Classe - Hexaoctaédrica

Propriedades Ópticas -
Opaco

Hábito -
Cúbico, fios, folhas, maciço, dendríticos
Foto do Mineral
silver.jpg (30073 bytes)
Cristais de ouro

Clivagem - Ausente
Dureza - 2,5 - 3
Densidade relativa - 10,5
Brilho -
Metálico
Cor -
Branco-prateado a cinza

Associação -
Ocorre com acantita, proustita, pirargirita, cobra nativo e outros minerais.
Propriedades Diagnósticas - Densidade, cor, dureza, associação mineral.
Ocorrência -
Origem primária em filões hidrotermais. Com origem secundária, sob a forma de cimento..
Usos - Usado pela indústria fotográfica, joalheria e equipamentos eletrônicos.


Fonte: MUSEU DE MINERAIS E ROCHAS "HEINZ EBERT" UNESP