segunda-feira, 17 de junho de 2013

Mineral - GRUPO DOS SULFATOS

O enxofre ocorre no estado nativo, como constituinte dos tecidos orgânicos e formando os sulfetos ou os sulfatos, uma vez que o S pode receber dois elétrons para preencher as duas vacâncias situadas na camada eletrônica exterior ( S= sulfetos) com raio iônico de 1,84 Å, ou perder os 6 elétrons, originando íons pequeno, muito carregado, altamente polarizante, positivo (S6+, raio iônico 30 Å). A relação do raio iônico do S6+ com o O (0,226) mostra que a coordenação estável e 4, ou tetraédrica. A ligação S-O desse grupo é bastante forte (1½ de unidade de carga), e covalente em suas propriedades, produzindo grupos ligados apertadamente que não são capazes de compartilhar os oxigênios gerando unidade SO4=, que se constitui na unidade fundamental dos sulfatos.
Os sulfatos anidros mais importantes e mais comuns são os membros do grupo da barita, com grandes cátions bivalentes coordenados com o íons sulfato. A estrutura relativamente simples conduz à simetria ortorrômbica, com clivagem perfeita {001} e {110}. O sulfato de cálcio (anidrita), por causa do tamanho menor do íon Ca, tem estrutura ligeiramente diferente, possuindo três clivagens pinacoidais. As propriedades físicas são em geral conferidas pelo cátion dominante, sendo a densidade diretamente proporcional ao peso atômico do cátion.
Entre os sulfatos hidratados, o gipso é o mais importante e abundante e a sua estrutura, como sugerido pela sua clivagem perfeita {010}, é em folhas, consistindo em camadas de íons Ca e sulfato, separadas por moléculas de água. A perda destas moléculas de água faz com que a estrutura entre em colapso, tomando a configuração da anidrita, com grande diminuição de volume e perda da perfeição da clivagem.
A maioria dos minerais deste subgrupo são ortorrômbicos, tem estrutura em tetraedros e a maior parte é de resíduos de evaporação de águas carregadas de substâncias químicas dissolvidas, formando os evaporitos e produtos de eflorescência. 

SULFATOS SIMPLES E COM ÂNIONS

Alunita

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de alunita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - KAl3(SO4)2(OH)6
Composição - 
Sulfato de Alumínio e Potássio Hidratado. 38,6% SO3, 37% Al2O3, 11,4 K2O, 13% H2O
Cristalografia - Trigonal
        Classe -
Escalenoédrica

Propriedades Ópticas - Uniaxial negativo

Hábito -
Romboédrico, maciço, fibroso, granular 
Clivagem - Distinta {0001}
Dureza - 3,5 - 4
Densidade relativa -
2.59 - 2,9
Brilho - Vítreo a perláceo
Cor -
Branco, amarelo, vermelho, cinza

Associação - Associada a sulfetos e ortoclásio.
Propriedades Diagnósticas -  testes químicos e ensaios óticos
Ocorrência -
Presente em rochas vulcânicas ácidas alteradas, sendo formada em presença de vapores ou soluções de ácido sulfúrico. Presente também em pequenas quantidades em fumarolas.
Usos - Não apresenta.



 Anglesita
Fórmula Química - PbSO4

Composição - 
Sulfato de chumbo. 26,4% SO3, 73,6% PbO

Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Tabular, prismático, maciço, granular, estalactítico, nodular 
Foto do Mineral
Cristais de anglesita
Clivagem - Distinta em {001} e {110}
Dureza - 2,7 - 3
Densidade relativa - 6,3
Fratura - Conchoídal
Brilho - Vítreo, adamantino a resinoso
Cor - Incolor, verde, azul, amarelo, cinza

Associação - Associada a galena e outros minerais de chumbo.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, densidade, dureza, brilho, dificilmente solúvel em
ácido nítrico e principalmente associação com outros minerais de Pb.
Ocorrência -
Mineral de origem secundária, geralmente formado em zonas de oxidação de depósitos de chumbo. Presente também em cavidades ou amígdalas em veios de galena.
Usos -
Fonte de sulfato e chumbo.

Anidrita 

Foto do Mineral Forma Cristalográfica
  bdanidrita.gif (6798 bytes)
Cristal de anidrita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - CaSO4
Composição - 
Sulfato de cálcio. 58,8% SO3, 41,2%CaO
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Tabular, prismático, maciço, granular, fibroso 
Clivagem -
Em três direções formando fragmentos retangulares; perfeita {100}, perfeita {010}, boa {001}

Dureza - 3 - 3,5
Densidade relativa - 2,8 - 2,9
Fratura - Conchoídal
Brilho - Vítreo a perláceo
Cor - Incolor, branco, azul, violeta, cinza-escuro

Associação - Associada a gipsita e outros sais.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem (pseudocúbica), dureza, não efervece em ácidos 
Ocorrência - Frequentemente encontrada em formações sedimentares, como cálcários, constituíndo camadas de sal. Ocorre em pequenas quantidades ligada a veios metalíferos ou amigdalas em rochas vulcânicas.
Formado também em evaporitos marinhos.
Usos -
Fonte de sulfato e cálcio.

 
 Barita
Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristal de barita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - BaSO4
Composição - 
Sulfato de bário. 34,4% SO3, 65,7% PbO
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Tabular, prismático, fibroso, lamelar, granular, estalactítico
Clivagem -
Perfeita em {001}, boa em {110}, imperfeita em {010}

Dureza - 3 - 3,5
Densidade relativa - 4,3 - 4,6
Brilho - Vítreo
Cor - Branco, azul, vermelho, amarelo, marrom, marrom-escuro, cinza

Associação - Associada a fluorita, quartzo, calcita, dolomita, estibnita. 
Propriedades Diagnósticas - Apresenta fosforescência, clivagem, elevada densidade, brilho vítreo a resinoso e  insolubilidade em ácidos.
Ocorrência -
É o mais comum dos minerais de bário, em geral associado a depósitos de chumbo, zinco, cobre, ferro, prata, níquel, cobalto, manganês e outros. Encontrado em calcários e arenitos, em veios distintos ou cimento em arenitos. Ocorre também em materiais petrificados e fósseis.
Usos - Obtenção de hidróxido de bário, o qual é usado em pigmentos, fabricação de papéis, refinação de açúcar.


Brochantita 



Fórmula Química - Cu4(SO4)(OH)6

Composição - 
Sulfato básico de Cobre. 17,7% SO3, 70,3% CuO, 12% H2O

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismático

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Tabular, prismático, fibroso, radial, granular, globular 
Foto do Mineral
Cristais aciculares de brochantita
Clivagem - Perfeita em {010} e {100}
Dureza - 3,5 -
4
Densidade relativa - 3,9
Fratura - Conchoídal
Brilho - Vítreo a perláceo
Cor - Verde, verde-esmeraldo ou preto

Associação - Associada a malaquita e outros minerais de cobre.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, hábito, cor de traço verde-pálido,
cor e associação.  
Ocorrência -
Mineral de origem secundária, encontrado em zonas de oxidação de depósitos de cobre.
Usos - Não apresenta


 Caledonita

Fórmula Química - Pb5Cu2CO3(SO4)3(OH)6

Composição - 
Sulfato de cobre e chumbo, contendo Carbonato de Cálcio. 8,9% Cu2O, 69,2% PbO, 3,3% H2O, 2,7% CO2, 14,9% SO3

Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Piramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Prismático 
Foto do Mineral
Cristal prismático de caledonita em rocha
Clivagem - Perfeita em [001], distinta em [100]
Dureza - 2,5 - 3
Densidade relativa - 5,6
Fratura - Ausente
Brilho - Vítreo a graxo
Cor - Azul, azul-esverdeado, verde, verde-escuro

Associação - Associada a sulfetos de chumbo e cobre.
Propriedades Diagnósticas - Facilmente fusivel, clivagem, densidade, hábito, brilho.
Ocorrência -
Mineral raro de origem secundária, formado por alteração em depósitos de chumbo e cobre.
Usos - Não apresenta.



 Celestita
Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de celestita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - SrSO4
Composição - 
Sulfato de estrôncio. 43,6% SO3, 56,4% PbO
Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Tabular, prismático, fibroso, radial, granular, globular 
Clivagem -
Perfeita em {001}, boa em {110}, indistinta em {010}

Dureza - 3 - 3
,5
Densidade relativa - 3,9
Fratura - Conchoídal
Brilho - Vítreo a perláceo
Cor - Incolor, verde, azul, marrom, cinza

Associação - Associada a gipsita e outros sais, enxofre, galena, esfalerita .
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, densidade, hábito, brilho,
cor de chama vermelho, não efervece em ácidos.
Ocorrência -
Mineral encontrado em calcários e arenitos; associado a enxofre em regiões vulcânicas; presente em veios metalíferos e cavidades vulcãnicas. 
Usos -
Usado na preparação de nitrato de estrôncio.

 Glauberita

Fórmula Química - CaNa2(SO4)2

Composição - Sulfato de cálcio e sódio.
57,6% SO3, 20,1% CaO, 22,3% NaO

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismático

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Cristais prismáticos ou tabular segundo a base
Foto do Mineral
Cristais de glauberita
Clivagem - Clivagem perfeita {001} e imperfeita {110}
Dureza -
2,5 - 3
Densidade relativa -
2,7 - 2,8
Brilho -
Brilho vítreo
Cor -
Branco a incolor

Associação -
Pode estar associado a anidrita e polialita.
Propriedades Diagnósticas -
Sabor salgado, friável, 2V pequeno. Difere da anidrita por ter menor birrefringência; menor ângulo 2V; extinção inclinada; uma única direção de clivagem boa. Difere da polialita por ter menor ângulo óptico; também por possuir a clivagem boa aproximadamente normal a bissetriz aguda.
Ocorrência -
Ocorre nos depósitos de sais de origem oceânica.
Usos - Foi utilizada na fabricação de soda.


Jarosita 


Fórmula Química - K2Fe6(OH)12(SO4)4

Composição - Sulfato de ferro e potássio hidratado.
31,9% SO3, 43,0% FeO, 9,4% K2O, 10,8% H2O. Mineral do grupo dos sulfatos básicos que compreende a amonio-jarosita, argento-jarozita, hidrônio-jarosita, natro-jarosita e plumbo-jarosita)

Cristalografia -
Trigonal
        Classe -
Piramidal

Propriedades Ópticas -
Uniaxial negativo. Também pode ser biaxial (ortorrômbico).


Hábito -
Massas granulares, fibrosas e terrosas, as vezes, como pequenos cristais romboédricos em drusas
Foto do Mineral
Cristais de jarosita
Clivagem - Clivagem distinta {0001}
Dureza -
3,15 - 3,26
Densidade relativa -
2,5 - 3,5
Brilho -
Brilho vítreo a adamantino
Cor -
Amarelo ocre, pardo

Associação -
Pode estar associada a outros sulfatos.
Propriedades Diagnósticas -
É um mineral secundário de cor alaranjado encontrado como crostas ou revestimentos sobre os minérios ferruginosos na zona de oxidação (pirita). É muito semelhante à limonita e é mais ou menos frequente no Brasil. Difere dos outros sulfatos pela cor da chama do K e da mevoltina pela sua completa insolubilidade em água.
Ocorrência -
Supérgena formada pela oxidação de sulfetos de ferro.
Usos - Quando em grande quantidade serve para obtenção de pó para polimento FeO em fornos especiais.


Linarita 



Fórmula Química - PbCuSO4.(OH)2

Composição - Sulfato básico de cobre e chumbo hidratado
. 17,8% Cu2O, 55,7% PbO, 4,5% H2O, 19,9% SO4

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismática

Propriedades Ópticas -
Biaxial Positivo

Hábito -
Cristais alongados paralelamente a [010] ou tabular segundo a base
Foto do Mineral
Cristal de linarita
Clivagem - Perfeita{100} e distinta {001}
Dureza -
2,5
Densidade relativa -
5,3 - 5,5
Fratura -
Conchoidal
Brilho -
Brilho vítreo a adamantino
Cor -
Azul-escuro

Associação -
Pode estar associada a cerussita, caledonita, etc.
Propriedades Diagnósticas -
Pleocroismo com a azul pálido, b azul claro e g azul da prussia. Difere da azurita, com quem é freqüentemente confundido, por ser insolúvel em ácidos e não exibir efervescência.
Ocorrência -
Encontrado em zonas oxidadas de veios mineralizados em Pb e Cu.
Usos - Mineral guia para mineralizações de Pb e Cu.


Thenardita



Fórmula Química - Na2SO4

Composição - 
Sulfato de sódio. 43,6% Na2O, 56,4% SO3

Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Bipiramidal rômbica

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Forma cristais tabulares, prismáticos ou piramidais, mais freqüentemente ocorre em drusas, agregados granulares e massas ou crostas.
Foto do Mineral
Cristal de thenardita
Clivagem - Clivagem basal boa
Dureza -
2,5
Densidade relativa -
2,6 - 2,7
Brilho -
Vítreo
Cor -
Incolor a branco, às vezes arroxeado ou amarronado, transparente a translúcido
Associação -
Pode estar associado a outros sulfatos.
Propriedades Diagnósticas -
Fracamente fluorescente à luz ultravioleta de grande comprimento de onda e fosforescente; solúvel em água. Distingue-se dos minerais associados mirabolita, astrakanita, etc., pelo sistema de cristalização, sabor salgado e solubilidade em água. Funde-se dando chama amarelo intensa.
Ocorrência -
Cristaliza-se em ambiente continental, exalações vulcânicas e é encontrada em muitos lagos salgados e regiões desérticas, onde é formada a temperaturas superiores a 32,5oC, sendo que em temperaturas inferiores cristaliza-se a mirabolita (Na2SO4.10H2O).
Usos - Usada em medicina como purgante, na fabricação do vidro, de soda, e na obtenção de sulfeto de sódio e em tinturaria.




 SULFATOS HIDRATADOS




 Alúmen Potássico (Calinita)

Fórmula Química - KAl(SO4)2.11H2O

Composição - Sulfato de alumínio e potássio hidratado
. 9,9% K2O, 10,7% Al2O3, 33,7% SO3, 45,5% H2

        Propriedades Ópticas -
Isotrópico

Hábito -
Octaédrico, fibroso, maciço  
Foto do Mineral
Cristal de alumen potássicio
Clivagem - Ausente
Dureza -
2
Densidade relativa - 1,76
Fratura -
Ausente

Brilho -
Vítreo
Cor - Incolor
ou branco

Associação -
Associado a argilo-minerais e alumino-ssilicatos.
Propriedades Diagnósticas - Densidade, dureza, hábito.  
Ocorrência -
Formado pelo intemperismo de rochas xistosas e folhelhos aluminosos. Pode se formar também a partir de da ação de águas vulcânicas que contenham ácido sulfúrico ou oxidação de sulfetos que contenham alumínio e potássio. 
Usos - Fonte de sulfato, na indústria têxtil etc.


 
 Alunogênio

Fórmula Química - Al2(SO4)3.18H2O

Composição - 
Sulfato de alumínio hidratado. Contém quantidades variadas de água, dependendo das condições atmosféricas. 7,9% Al2O3, 37,5% SO3, 50,6 H2O

Cristalografia -
Triclínico
        Classe -
Pinacoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Fibroso, maçico, encrustrações 
Foto do Mineral
Cristais de alunogênio
Clivagem - Distinta em {001} e {110}
Dureza - 1,5 - 2
Densidade relativa - 1,65 - 1,78
Fratura - Subconchoídal
Brilho - Vítreo a perláceo
Cor - Branco, amarelo, vermelho

Associação - Associado a alúmens e pirita.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, densidade, dureza, brilho, dificilmente solúvel em
ácido nítrico.
Ocorrência -
Formado em processos vulcânicos, decomposição de pirita em turfeiras.
Usos -
Fonte de sulfato e alumínio.

Calcantita

Fórmula Química - CuSO4.5H2O

Composição - 
Sulfato de Cobre Hidratado. 32,1% SO3, 31,8% CuO, 36,1% H2O

Cristalografia -
Triclínico
        Classe -
Pinacoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial negativo

Hábito -
Maciço, estactítico, reniforme, fibroso
Foto do Mineral
Cristais fibrosos de calcantita
Clivagem - Imperfeita {110} e {111}
Dureza - 2
,5
Densidade relativa - 2,1 - 2,3
Fratura - Conchoídal
Brilho - Lustroso a vítreo
Cor - Verde, verde-azulado, azul, azul-escuro

Associação - Associada a calcopirita e outros sulfetos.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, dureza, hábito,
cor, testes químicos.
Ocorrência -
Formada pela oxidação de calcopirita e outros sulfetos. Encontrada em grandes quantidades em regiões desérticas.
Usos - Fungicida.


 Copiapita


Fórmula Química - (Fe, Mg) Fe4+3 (SO4)6 (OH)2.20 H2O.

Composição - 
Sulfato básico de ferro hidratado. 25,5% Fe2O3, 5,7% FeO, 30,3% H2O, 38,4% SO3

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Pinacoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Agredados cristalinos, granular, maciço, incrustrações
Foto do Mineral
Cristal de copiapita em rocha
Clivagem - Perfeita {010}
Dureza - 2
,5
Densidade relativa - 2,1-
2,2
Fratura - Conchoídal
Brilho - Lustroso a perláceo
Cor - Verde, verde-amarelado, amarelo, amarelo-ouro

Associação - Associada a pirita e outros sulfetos de ferro.
Propriedades Diagnósticas - Clivagem, cor de traço verde-pálido, hábito,
cor, testes químicos.
Ocorrência -
Sulfato de ferro comum, formado por oxidação em depósitos de sulfeto de ferro.
Usos -
Não apresenta.

Epsomita (Sal-de-epson, sal-amargo) 
Fórmula Química - MgSO4.7H2O

Composição - Sulfato de magnésio hidratado
. 32,5% SO3, 16,3% MgO, 51,2% H2O

Cristalografia -
Ortorrômbico
        Classe -
Biesfenoídal

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Massas botroidais e crostas delicadamente fibrosas
Foto do Mineral
Cristais de epsomita
Clivagem - Clivagem perfeita em três direções {010} e {011}
Dureza -
2
Densidade relativa -
1,7
Brilho -
Brilho vítreo a terroso
Cor -
Incolor a branco, transparente a translúcido

Associação -
Pode estar associada a pickeringuita e outros minerais sulfatos.
Propriedades Diagnósticas -
Caracteriza-se por seu modo de ocorrência em agregados delicados, fibrosos e capilares, sua solubilidade fácil em H2O; sabor amargo; relevo fortemente negativo.
Ocorrência -
Origina-se em depósitos de evaporitos ricos em Mg, produto de hidratação da kieserita, eflorescência sobre as rochas nas galerias das minas e paredes de cavernas.
Usos - Purificado foi empregado como purgante em medicina; na indústria têxtil, como apresto de tecidos de algodão; fabricação de corantes; fabricação de seda "viscose", adubo para o tabaco etc.


 

 Gipsita 
Foto do Mineral Forma Cristalográfica
 
Cristais de gipsita
Direções ópticas e cristalográficas
Fórmula Química - CaSO4.2H2O
Composição - Sulfato de cálcio hidratado.
46,6% SO3, 32,5% CaO, 20,9% H2O. As principais variedades são espato acetinado, fibroso com brilho sedosos; alabastro variedade maciça e transparente, usada em esculturas, e selenita, cristais com clivagens largas, incolores e transparentes.
Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismática

Propriedades Ópticas -
Biaxial positivo

Hábito -
Fibroso (segundo {001}), prismático, lamelar a tabular (segundo {010}), maciço ou granular
Clivagem -
Clivagem em 4 direções (perfeita {010} e menos perfeita a imperfeita {100} e {111}
Dureza -
1,5 - 3
Densidade relativa -
2,32
Fratura -
Fratura conchoidal
Brilho -
Brilho vítreo, nacarado e sedoso
Cor -
Incolor, branco a cinza, amarelo, vermelho, castanho

Associação -
Associada com calcários, folhelhos, margas e argilas.
Propriedades Diagnósticas -
Dureza baixa; hábito; solubilidade em HCl diluído a quente; relevo negativo; baixa birrefringência; forte dispersão inclinada e caráter óptico. Geminação sobre (100), com forma de ponta de flecha, e também sobre (101).
Ocorrência -
Forma-se nos evaporitos, normalmente como produto de hidratação da anidrita, fumarolas, decomposição (oxidação) de sulfetos e veios hidrotermais sulfetados de baixa temperatura e pressão. Por aquecimento perde água, formando a 128ºC o gesso (pasta de Paris), que tem e 1,57, w 1,55 e d 0,02. Na natureza, a gipsita pode desidratar para anidrita com diminuição de volume, ou mesmo reduzir o enxofre.
Usos - Gesso para moldes cerâmicos, odontológicos, estatuetas, estuque etc.; fabricação de ácido sulfúrico, cimento Portland, para neutralizar o excesso de cloreto de sódio nas terras cultiváveis, para diminuir a rapidez de pega do cimento Portland, carga para papel, tintas etc.; fundente de minérios de níquel; purificação de água para fabricação de cerveja; quando na forma maciça e compacta (alabastro) é usado par fins ornamentais, incorporado na fabricação do cimento. Também em fornos, moldes, ortopedia, construção civil (forros) etc.



 Halotriquita

Fórmula Química - FeAl2(SO4)4.22H2O

Composição - Sulfato de
alumínio e ferro hidratado. 11,5% de Al2O3, 8% de FeO, 44,5% de H2O, 36% de SO3

Cristalografia - Monoclínico
        Classe -
Esfenoídal

Propriedades Ópticas - Biaxial negativo

Hábito -
Fibroso, podendo formar incrustações 
Foto do Mineral
Cristais de halotriquita
Clivagem - Indistinta {010}
Dureza - 1,5 - 2
Densidade relativa - 1,9 -
2,1
Fratura -
Ausente

Brilho - Sedoso
Cor - Incolor, branco, cinza, amarelo verde

Associação -
Associada a alumens.
Propriedades Diagnósticas -
Hábito, brilho, dureza, densidade. 
Ocorrência -
Formado a partir de outros alumens.
Usos -
Não apresenta.


Melanterita 



Fórmula Química - FeSO4.7H2O

Composição - 
Sulfato de ferro hidratado, podendo haver substituíção de ferro por manganês. 28,8% SO3, 25,9% Fe2O3, 45,3% H2O

Cristalografia -
Monoclínico
        Classe -
Prismático

Propriedades Ópticas -

Hábito -
Ocorrendo na forma de crostas, estalactites, etc
.
Foto do Mineral
Cristal de melanterita
Dureza - 2
Densidade relativa -
1.89 - 1,9
Brilho -
Brilho vítreo
Cor -
Verde, azul-esverdeado, cinza-amarelado, cinza-escuro

Associação -
Pode estar associada a outros sulfatos.
Propriedades Diagnósticas -
Sabor adstringente, cor e brilho.
Ocorrência -
É originada geralmente da decomposição de sulfetos de ferro.
Usos - Usada como pigmento.