terça-feira, 9 de julho de 2013

Exploração anárquica de recursos florestais preocupa secretário de Estado



Ganda - O secretário de Estado da Agricultura para Recursos Florestais, André de Jesus Moda, manifestou-se nesta segunda-feira, no município da Ganda (Benguela), preocupado com a exploração desordenada e anárquica de madeira e a falta de conservação das florestas.
 
André de Jesus Moda, que efectuou uma visita de algumas horas à localidade, disse não ter gostado o cenário encontrado, caracterizado pela exploração anárquica de madeira, abate desordenado de árvores, caças furtiva e queimadas.
 
Referiu existir, por um lado, uma exploração ordenada por parte de empresas autorizadas ou credenciadas, observando as normas estipuladas, e, por outro, os desordeiros que são os garimpeiros particulares que exploram os recursos de modo irracional.
 
Segundo o secretário, constatou-se que os camponeses praticam queimadas desordenadas dos polígonos florestais, por não haver também a fiscalização de proximidade, daí a urgência de reformas para que cada departamento assuma as suas responsabilidades.
 
André Moda pontualizou que o governo concebeu um programa de povoamento e repovoamento florestal, tendo pedido a actual comissão de gestão do complexo industrial da Companhia de Celulose e Papel de Angola (CCPA) e outros agentes a fazerem a reposição na medida que vão fazendo sua exploração de madeira de eucaliptos, pinho e cedro.
 
Na Ganda, secretário de Estado da Agricultura deslocou às áreas da Khakuma e Kalava, onde constatou o actual estado de exploração e conservação de eucaliptos, cedro e pinho, ligados ao perímetro florestal do ex-complexo industrial da Companhia de Celulose e Papel de Angola (CCPA).
 
A visita insere-se no âmbito do programa da ajuda e controlo para a inventariação dos recursos florestais nacional.
 
Entretanto, o ex-complexo industrial da CCPA controla nas regiões da Ganda, Ukuma e Cahala (Huambo) 18 perímetros florestais de Eucaliptos, Pinho e Cedro que serve para produção de madeira.