terça-feira, 2 de julho de 2013

Indonésia, um 'must' para vulcanólogos

Indonésia, um 'must' para vulcanólogos



As ilhas da Indonésia encontram-se entre os terrenos mais recentes do planeta.
Formaram-se há apenas quinze milhões de anos, resultado de deslocamentos de terras na subsuperfície do oceano e de erupções vulcânicas.
A Indonésia possui 155 centros de vulcanismo. Java e Bali são as ilhas vulcânicas mais ativas do mundo com 20 de seus vulcões tendo atuado em tempos históricos.
Além disso, 13 vulcões mais antigos possuem solfataras ativas (passagens de ar e gás que emitem Gás Sulfídrico e outros gases derivados de enxôfre) e fumarolas (dutos que emitem vapor e outros gases).
Alguns vulcões como Semuru, Merapi Agung, e Ciremal possuem a forma clássica de um vulcão, e outros, como Tengger e Batur, possuem enormes crateras causadas por violenta explosão, formando ao seu redor uma planície ou um lago com pequenos picos no interior.
Triângulos vermelhos grandes mostram vulcões com conhecidas ou inferidas erupções do Holoceno; triângulos vermelhos pequenos indicam vulcões com possíveis, porém incertas erupções holocênicas ou vulcões do Pleistoceno com intensas atividades termais. Triângulos amarelos distinguem vulcões de outras regiões fora da Indonésia (Global Volcanism Program).