segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Identificado petróleo em mais dois poços no Ceará (Brasil)



A Petrobras identificou indícios de petróleo em mais dois poços perfurados em águas profundas no Ceará. Denominados de Araraúna e Tango, eles se encontram na parte cearense da Bacia Potiguar e ainda continuam em fase de perfuração.
De acordo com a estatal, "os dados obtidos serão analisados para subsidiar a decisão sobre novas perfurações na bacia".
A Agência Nacional de Petróleo (ANP) informou o recebimento de duas notificações das descobertas neste mês e outra em junho passado.
Em relação ao primeiro poço, a Petrobras informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que está concluindo as operações de perfuração.
Chamado tecnicamente de 1-BRSA-1158-CES, o poço está sendo perfurado, desde o dia 11 de fevereiro, pelo consórcio formado pelas empresas Petrobras, que é a operadora, IBV e Petrogal Brasil S.A. "Os indícios de hidrocarbonetos identificados durante a perfuração e em perfis elétricos foram notificados nos dias 14/06 e 30/07/2013, conforme procedimento obrigatório estabelecido pela ANP", informou a empresa.

Custo da sonda

A perfuração de Araraúna é conduzida pela sonda Deepwater Discovery, da Transocean, afretada pela taxa diária de US$ 463 mil. A descoberta de indícios de petróleo foi feita a uma profundidade de 975 metros de lâmina d´água. Para se ter uma ideia, até o momento, o Ceará só tem produção marítima de petróleo em campos localizados a uma profundidade de até 50 metros, na Bacia do Ceará.
Já o poço 1-BRSA-1175-CES, que testa o prospecto de Tango, teve a descoberta de indícios de óleo notificada à ANP na última segunda-feira (5).
Conduzida pela semissubmersível Ocean Courage, contratada por US$ 407 mil por dia, a perfuração identificou a descoberta a uma profundidade ainda maior que a de Araraúna: 1.924 metros de lâmina d´água.

Área marítima

Os dois poços são os primeiros a serem perfurados em área marítima da parte cearense da Bacia Potiguar. Hoje, o Ceará só tem exploração na bacia por meio de poços terrestres nos municípios de Aracati e Icapuí. De acordo com informações anteriores da Petrobras, os planos da empresa previam a perfuração de cinco poços em território cearense da bacia em questão, nos blocos BM-POT-16 e BM-POT-17, que ficam a cerca de 41,5 km da costa do município de Icapuí, no Ceará. Faltariam, então, outros três poços, que são os prospectos denominados Jandaia, Louro e Xaxado. A Licença de Operação (LO) para a exploração destes dois blocos foi emitida pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais) no dia 8 de fevereiro e tem validade até fevereiro de 2016. Além dos cinco poços em território cearense, a LO autoriza ainda a Petrobras a explorar um poço em território do Rio Grande do Norte, denominado Pitu.
A licença informa que a perfuração de cada poço tem valor de referência de R$ 100 milhões, totalizando, assim, R$ 600 milhões para a perfuração dos seis poços aprovados.

Total de quatro

Com Araraúna e Tango, somam-se quatro os poços em águas profundas nos quais foram identificados petróleo em território cearense. Os dois primeiros estão localizados na chamada Bacia do Ceará. As descobertas realizadas nos poços chamados de Pecém e Canoa Quebrada (nos blocos BM-CE-2 e BM-CE-1, respectivamente) ainda estão sendo analisadas. "Nesta fase dos estudos, ainda não há uma estimativa segura do volume de petróleo descoberto", já informara anteriormente a Petrobras.
O Canoa Quebrada (1-BRSA-1114-CES) teve os indícios de petróleo notificados à ANP em dezembro do ano passado, a uma profundidade de 1.934 metros de lâmina d´água.
Já o Pecém (1-BRSA-1080-CES), o primeiro poço em águas profundas no Estado, teve sua notificação em agosto de 2012, a uma profundidade que alcançou os 2.130 metros de lâmina d´água.
A descoberta neste poço, localizado a 76 quilômetros do município de Paracuru, foi listada no balanço do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) como uma das maiores ocorridas no País entre janeiro de 2011 e dezembro de 2012.