segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Executivo quer aumento da produção de diamantes




Angop
Francisco Queiroz, ministro da Geologia e Minas
Francisco Queiroz, ministro da Geologia e Minas

Luanda – O Executivo angolano quer ver aumentada a produção de diamantes até cinco porcento por ano e expandir de forma sustentável os níveis actuais de produção, afirmou hoje (segunda-feira), em Luanda, o ministro da Geologia Minas, Francisco Queiroz.
 
Francisco Queiroz que fez esta afirmação durante um encontro que manteve com os operadores do subsector dos diamantes, informou que o Executivo pretende atingir esta cifra tendo como base as metas de governação e de actuação para o futuro na perspectiva do Plano Nacional de   Desenvolvimento “Angola 2025”.
 
O Executivo, continuou, tem como objectivo global contribuir para o rápido , consistente e organizado desenvolvimento do subsector diamantífero, de forma a incrementar o valor acrescentado nacional no contexto de cluster (grupos de empresas com características semelhantes) dos recursos minerais e da diversificação da economia e apoiar o desenvolvimento sustentável de Angola .
 
Referiu que as linhas estratégicas para o alcance deste objectivo passam por inserir a actividade diamantífera nacional nas diferentes fases da fileira mundial do diamante , desde a prospecção, exploração, comercialização e lapidação até à joalharia, e elevar cada vez mais os níveis de produção, visando posicionar o país entre os primeiros três lugares no quadro dos principais produtores mundiais.
 
Figuram também nas linhas estratégicas a organização da actividade artesanal de acordo com a legislação em vigor e a médio prazo substituí-la pela produção semi-industrial e contribuir para o surgimento e desenvolvimento de uma indústria nacional de joalharia baseada nos vastos recursos do país, tanto em pedras preciosas e semi-preciosas como em outros metais.
 
Os grandes objectivos desta estratégia, disse, são aumentar significativamente as contribuições fiscais do subsector, constituir reservas destinadas ao reinvestimento no subsector e contribuir para o desenvolvimento socioeconómico das comunidades nas zonas diamantíferas.
 
Francisco Queiroz sublinhou que, ao solicitar maior fluidez de partilha de informação directa entre os operadores diamantíferos e o ministério que dirige, não pretende substituir o papel exercido pela Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama E.P), nem da Sociedade Nacional de Comercialização de Diamantes ( Sodiam) cujos papeis fundamentais é o de recolher e processar a informação de natureza empresarial e comercial.
 
O encontro do Ministério da Geologia e Minas e os operadores do subsector de diamantes teve como objectivo sensibilizar e mobilizar os operadores para o cumprimento das regras sobre prestação regular de informação estatística à Endiama E.P. 
 
O cumprimento das normas ambientais aplicáveis à actividade geológico-mineira, com base no estatuído no Código Mineiro, e alinhar as acções dos operadores ao programa de governação do Executivo no período 2013- 2017 foram também objectivos do encontro.
 
Do Portal angop