quinta-feira, 2 de maio de 2013

Catoca quer ser terceira maior exportadora de Diamantes no Mundo

Catoca quer ser terceira maior exportadora de Diamantes no Mundo

Saurimo - A Sociedade Mineira de Catoca pretende atingir até 2020 o terceiro lugar no ranking das empresas exportadoras de diamantes no Mundo, no âmbito do seu programa estratégico (Visão 2020), informou o director geral da instituição, Ganga Júnior.

De acordo com o responsável, a empresa estabeleceu um programa estratégico de desenvolvimento designado Visão 2020, onde poderão passar dos 60 biliões de kwanzas de facturação por ano, para cerca de 150 biliões por ano.

Ganga Júnior informou que em 2012 a empresa facturou cerca de 57 biliões e 900 milhões de kwanzas e teve um lucro líquido na ordem dos 13 biliões e 500 milhões de kwanzas, acrescentando que houve um decréscimo na ordem dos 15 porcento.

Ganga Júnior fez saber que, neste momento, estudos de viabilidade estão a ser desenvolvidos com equipas de trabalho nas concessões do Gango, município da Quibala, província do Kwanza Sul, do Luaxi, província da Lunda Sul e do Luangue, na província da Lunda Norte.

“Não estamos limitados a estas três províncias, continuamos a trabalhar no sentido de procedermos ao levantamento de informações para definirmos as nossas prioridades de intervenção e neste momento o município de Mavinga, província do Kuando Kubango, também já é uma prioridade, tendo em conta o potencial geológico e mineiro que ela possui”, indicou.

Quanto à diversificação e à internacionalização da empresa, referiu que já existem contactos avançados com a ZMDC, empresa de diamantes do Zimbabwé, o primeiro país para as actividades de internacionalização da fábrica, pelo facto de ter um potencial geológico mineiro e por existir neste país uma certa tranquilidade e confiança política e social.

“Neste momento temos basicamente três compradores, um dos quais é a SODIAM que é a principal detentora do direito exclusivo de comercialização de diamantes explorados em Angola”, informou.

Deu a conhecer que foram descobertas novas minas, como resultado do trabalho de investigação geológico e que a empresa tem também, neste momento, mais um kimberlite novo que dista a cerca de quatro quilómetros da sede da empresa, com um resultado animador podendo mesmo ser considerado já uma mina.

Quanto à formação profissional, a empresa tem um programa de gestão de capital humano que passa por vários subprogramas, de qualificação, função, benefícios, compensações e avaliação.

Fonte: Angop