sábado, 25 de maio de 2013

O sismo com mais magnitude registado por sismógrafos foi há 53 anos

O sismo com mais magnitude registado por sismógrafos foi há 53 anos

Mapa da área atingida pelo sismo de 22 de maio de 1960

Vista de uma rua no centro de Valdivia após o sismo



Data 22 de maio de 1960
Magnitude 9,5 MW
Profundidade 33
Epicentro 39° 30′ S 74° 30′ W
Zonas atingidas  Chile
Vítimas entre 2231 e 6000
O Sismo de Valdivia de 1960, também conhecido como Grande Sismo do Chile, foi o mais violento sismo já registado cientificamente. Ocorreu no dia 22 de maio de 1960, no Chile.
Atingiu todo centro-sul do Chile, incluindo as cidades de Valdivia e Concepción, registando o valor de 9,5 na escala de magnitude de momento (Escala de Richter), o que o tornou o mais forte já registado cientificamente na história da Humanidade.
O sismo foi sentido em diferentes partes da Terra e produziu um tsunami que afetou diversas localidades ao largo do Oceano Pacífico, como o Havaí e o Japão e ainda a erupção do vulcão Puyehue. Cerca de 5.700 pessoas faleceram e mais de 2 milhões ficaram feridas por causa desta catástrofe. Tsunamis causados pelo tremor causaram 62 mortes no Havaí e 31 nas Filipinas nas horas seguintes, e réplicas do abalo foram sentidas durante mais de um ano. Os estragos chegaram a ameaçar seriamente a realização da Campeonato do Mundo de Futebol de 1962, já programada para ocorrer no país.
O Chile é susceptível a fortes terramotos porque está na fronteira de duas placas tectónicas: a placa de Nazca e a placa Sul-Americana.
O número de vítimas e os prejuízos deste desastre nunca foram conhecidos com precisão. Diversas estimativas quanto ao número total de mortes directamente associadas ao sismo e tsunamis foram publicadas, com a USGS a citar estudos e números de 2.231, 3.000, ou 5.700 mortes, enquanto outras fontes usam estimativas de 6.000 mortes. Várias fontes estimam o custo monetário entre 400 milhões e 800 milhões de dólares norte-americanos (equivalentes a 2,9 e 5,8 mil milhões de dólares aos custos de 2010, corrigidos pelo efeito da inflação). Cerca de 965 pessoas morreram de um a três dias depois do terremoto, por doenças causadas por micro-organismos surgidos no decorrer da decomposição de seres vivos mortos no sismo e ainda pelos esgotos rebentados e água contaminada, entre outros, ou por hemorragias ocorrida nos ferimentos associados ao sismo.

Chegada do tsunami, desde Valdivia e ao longo do Oceano Pacífico, em horas após o sismo