quarta-feira, 24 de abril de 2013

Feldspato

Feldspato (Na. K) Al Si3, Ba AlSi2 O3

* Andesina


Vocábulo proveniente do alemão feld; campo e spat; uma rocha que não contém minério. Feldspato é o nome de uma importante família de minerais do grupo tectossilicatos, constituintes de rochas que formam cerca de 60% da crosta terrestre e cristalizam nos sistemas triclínico ou monoclínico. Sua cristalização se dá no magma, tanto em rochas intrusivas quanto em extrusivas; ocorrem como minerais compactos, como filões, em pragmatitas e se desenvolvem em muitos tipos de rochas metamórficas. Também podem ser encontrados em alguns tipos de rochas sedimentares.
O feldspato pertence ao grupo de silicatos de alumínio com potássio, sódio, cálcio e mais raramente bário, sendo que o primeiro tem grande aplicação na indústria da cerâmica e do vidro.
Na cerâmica, sua função é a de fundente, porque seu ponto de fusão é menor que a maioria dos outros componentes, servindo de cimento para as partículas das várias substâncias cristalinas, além de outros aspectos, como as reações químico-físicas.
Já na indústria do vidro, o feldspato fornece alumina, para aumentar a aplicabilidade do vidro fundido, melhorando o produto final, dando-lhe uma estabilidade química maior, inibindo a tendência de devitrificação.
O feldspato tem outras utilizações como na produção de vernizes e tintas onde é usado na produção de fitas metálicas, na produção de eletrodos para solda, abrasivos leves, além de ser utilizado em próteses dentárias.
Na maior parte de suas aplicações o feldspato pode ser substituído, total ou parcialmente, pela rocha nefelina sienito. Além dessa rocha, são também potenciais substitutos do feldspato: argila, talco, pirofilita, areia feldspática e escória de alto-forno.
O feldspato se apresenta na cor branco róseo, possuindo aspecto translúcido e transparente. Seu brilho é vítreo e não-metálico. Possui dureza entre 6 e 6,5 na Escala de Mohs e peso específico entre 2,5 e 2,8. Encontra-se na forma de cristal prismático ou compacto.
As reservas Brasileiras de feldspato totalizam aproximadamente 116 milhões de toneladas, sendo 41,4% reservas medidas, 28% reservas indicadas e 30,6% reservas inferidas. Entre os estados brasileiros destacamos São Paulo com 47,1%, Minas Gerais com 36,3% e o Paraná com 10,7% das reservas nacionais. Analisando por regiões estaduais temos os municípios de Castro – PR, com 11 milhões, Sorocaba – SP com 7,7 milhões e Itinga – MG com 4,2 milhões de toneladas. Com relação às reservas de feldspato, existe uma grande dificuldade para uma quantificação mais precisa, uma vez que ele ocorre em rochas pegmatíticas.

* anorita

Os feldspatos podem ser classificados em dois grandes grupos, alcalinos e sódico-cálcicos, sendo que os primeiros podem ser sistematizados, com base nas suas propriedades ópticas, em quatro séries: albita de alta temperatura-sanidina de alta temperatura; albita de alta temperatura-sanidina de baixa temperatura; albita de baixa temperatura-ortoclásio ; albita de baixa temperatura-microclínio. A série do plagioclásio da mesma maneira que os feldspatos alcalinos, apresenta termos de alta e baixa temperaturas, além de temperatura intermediária, e podem ser classificados eminentemente com base nas porcentagens "moleculares", aparecendo as denominações albita, oligoclásio, andesina, labradorita, bytownita e anortita, respectivamente para porcentagens de anortita (An) de 0-10, 10-30, 30-50, 50-70, 70-90 e 90-100%. Esta divisão é unicamente de conveniência, não apresentando nenhum significado estrutural, e aparecem denominações como oligoclásio cálcico, andesina sódica etc. A solução sólida é quase completa na série de alta temperatura, desde albita até a anortita, mas as investigações com Raio X mostram que a série de baixa temperatura é estruturalmente complexa, tendo sido designados vários tipos estruturais: albita de baixa temperatura, peristerita, albita intermediária ( intermediária entre dois estados de baixa temperatura) e anortita. A estrutura da peristerita consiste em um intercrescimento fino de duas fases e alguns exemplares apresentam iridescência ou labradorescência (brilho semelhante ao apresentado por algumas labradoritas).
O Ba está presente em pequena quantidade na grande maioria dos feldspatos, mas só raramente ocorre como constituinte principal. De modo geral, são consideradas variedades de Ba quando o teor de BaO exceder 2%, sendo o feldspato com mais de 90% da molécula BaAl2Si2O8 denominado celsiana, e o com proporção menor de Ba denominado de hialofano.
Os feldspatos alcalinos distinguem-se dos componentes da série dos plagioclásios pela ausência (exceto no microclínio) de geminação lamelar, pelos índices de refração inferiores, menor densidade e pela presença de texturas criptopertíticas ou pertíticas e do quartzo pela geminação, índices de refração menores e caráter biaxial.

*banalsita
Os feldspatos potássicos podem ser reconhecidos por técnicas de coloração, tanto em seção delgada como em amostra de mão. O método mais prático é atacar a amostra com HF concentrado (em contato direto ou com vapor) por 15 a 30 segundo, a fim de preparar os minerais para a coloração. Se o ataque for só por vapor não há necessidade de emergir a amostra em água destilada, antes de emergir em solução de cobaltinitrito de sódio (60g em 1000ml de água), durante 15 a 20 segundos. Depois disto deve-se imediatamente passar a lâmina ou amostra de mão em água. Os feldspatos potássicos ficam com cor amarelo-pálido e, embora a mica branca e os minerais de argila possam por vezes absorver a cor, eles podem distinguir-se, por comparação, quando está presente o feldspato potássico em virtude da textura ou relevo ou intensidade de coloração diferentes. O quartzo e os plagioclásios não são coloridos, embora as fáculas de feldspatos potássicos nas antipertítas possam ser coloridas. Existe também métodos para colorir os plagioclásios.
Os minerais de feldspato estão divididos nos seguintes grupos:
Feldspatos potássicos (ou alcalinos)
Ortoclase












Sanidina
Anartoclase


Microclina

Feldspatos Plagioclase (ou clacossódicos)
Albita

Oligoclase
Andesina











Labradorite
Bytownita
Anortita
Outros felsdpatos
Clesiana
Paracelsiana


Sviatoslavita (Sem imagem)
Dmisteinbergita


Feldspatos raros

Buddingtonita

Reedmerfnerita

Lalwsonita

Banalsita


Estronalsita (sem imagem)
Lisetita (sem imagem)
Filatovida (sem imagem)

Fontes do texto:

Feldspato por Leonardo José Ramos.

Grupo da Feldspato por Fábio Braz Machado.
Wikipédia A enciclopédia livre.