domingo, 13 de outubro de 2013

Espanha suspende injeção de gás em plataforma submarina

Um antigo poço petrolifero está a ser usado como depósito de gás natural, sendo que, desde que começou a ser cheio, não tem parado a atividade sísmica na zona. Por isso, o governo espanhol mandou suspender o enchimento deste furo com gás natural.
A Plataforma Castor, conforme se chama este projeto de armazenamento de gás natural em Espanha, estava a iniciar os primeiros seis meses de trabalho de injeção da matéria-prima.
Em seis meses, são injectados mil e novecentos milhões de metros cúbicos de Gás Natural. Até agora, foram injectados apenas cinco por cento dessa quantidade.
Além do mais, este primeiro gás é chamado de "colchão", o que significa que se infiltra e tapa os poros da rocha. Um buraco que está a mil e setecentos metros de profundidade, debaixo de uma plataforma martima a 22 km do litoral. Um furo que fica em cima de uma falha sísmica.
Por isso, o governo de Espanha assumiu, esta tarde, que existe uma alta probabilidade da pressão do gás a entrar na rocha causar as centenas de abalos que se têm registado no último mês.
O ministro espanhol do Interior, José Manuel Soria, avisou, no entanto, que é baixo o risco de um abalo sísmico com gravidade.