quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Galp terá mais tempo para procurar petróleo no Alentejo



O Governo mostrou-se disponível para rever os prazos da prospecção de petróleo na bacia do Alentejo. A petrolífera portuguesa já pediu um ano de adiamento. Esta possibilidade surge na sequência do abandono da Petrobras da prospecção de petróleo em Portugal, confirmada na passada segunda-feira.

Com a saída da Petrobras do consórcio com três áreas de concessão na bacia do Alentejo (Lavagante, Santola e Gamba), coloca-se a possibilidade de haver uma revisão de prazos, adiantou uma fonte oficial da secretaria de Estado da Energia ao jornal Público.

O Governo reconheceu que se trata "de áreas de fronteira em águas profundas" que implicam "investimentos muito elevados, a serem totalmente suportados pelas empresas petrolíferas".

A Galp aguarda agora que o Governo aprove a venda da posição da companhia brasileira à sua congénere portuguesa, tendo solicitado o adiamento de um ano nos trabalhos de prospecção.
Noticias ao Minuto - 13/11/2013